Da escrita

por Pedro Barnez Pignata Cattai É incrível. Mas aconteceu. Juliana começou a falar simultaneamente à alfabetização. Antes disso, ela balbuciava palavras inventadas, numa espécie de idioma próprio. Mesmo naquela língua, falava pouco. Ameaçavam-na, chantageavam-na. E ela seguia quieta. Ou, pior, falando aqueles sons “oiatis”, “assômio”, …